Insulina, as verdades que todos deveriam saber

Hoje você vai aprender todos os detalhes sobre o hormônio insulina…acredito que você já deve ter ouvido falar bastante, mas não sabe direito como ele funciona em nosso organismo. Neste artigo, vamos tirar todas as suas dúvidas.

Imagine que nosso corpo é como uma empresa muito bem organizada, onde todos os mecanismos de controle mantêm ele em equilíbrio. Um dos maiores controles fica com relação ao nível de açúcar no sangue. Para esse equilíbrio perfeito, nosso corpo precisa fixar a concentração de açúcar entre os limites de 70 mg/ml e 110 mg/ml. Quando há alterações nestes limites, seja caindo ou subindo, são ativados mecanismos de controle do corpo. E estes fazem tudo voltar ao normal. Essa função em resumo é isso, buscar o equilíbrio, buscar a homeostase.

Como a Insulina Age No Nosso Corpo:

Mulher com o abdominal sarado

Nosso corpo precisa manter seus níveis equilibrados, caso o nível de açúcar no sangue suba acima de 110 mg/ml, ele libera um hormônio que percorre o sangue “limpando” esse excesso de açúcar (glicose) e guardando ele nos tecidos magros ou como gordura, trazendo assim o equilíbrio.

Agora, se o nível cair para abaixo de 70 mg/ml, nosso corpo novamente libera um outro hormônio que faz com que o organismo jogue na corrente sanguínea o açúcar que estava armazenado nos tecidos magros, restabelecendo mais uma vez o equilíbrio.

O primeiro hormônio que armazena o açúcar é a insulina, já o segundo hormônio, o liberador de açúcar, é o glucagon.

Os carboidratos, sejam eles simples, complexos, naturais ou refinados, são no final transformados em açúcar (glicose), ou seja, todos os carboidratos são transformados em açúcar. Quando nossas refeições são ricas em carboidratos simples, ou seja, os de rápida digestão, o corpo irá transformar todo este carboidrato rapidamente em açúcar, fazendo com que os níveis de açúcar no sangue subame e exigindo que o corpo libere quantidades elevadas de insulina para a “limpeza” e retomada deste equilíbrio.

Já quando a refeição é rica em carboidratos complexos e naturais, a digestão acontece mais lentamente, assim, não existem picos nos níveis de açúcar do sangue, consequentemente, este hormônio é liberado de forma controlada pelo pâncreas, o que mantém o organismo estável.

Lembre-se que ao adicionar fibras em suas refeições, você colabora para uma digestão controlada.

Entendendo Melhor Seus Efeitos:

Homem no agachamento rack

“Você precisa prestar muita atenção aqui!” Nosso corpo possui 2 formas principais de armazenar a energia, a primeira é uma fonte de energia rápida de fácil acesso chamada glicogênio. A outra é uma fonte maior de energia, a gordura.

O glicogênio é armazenado em quantidades limitadas no fígado e nos músculos, essa quantidade fica entre 300 g – 400 g. Nosso organismo prefere sempre armazenar a energia extra que “entra” como glicogênio, mas caso estes estoques já estejam completos, nosso organismo será obrigado então a recorrer ao seu estoque secundário, a gordura corporal.

A insulina é o hormônio que irá percorrer o sangue levando esta energia (glicose) aos seus destinos, músculos, tecidos, gordura, etc. Ela tem um papel essencial no processo de nutrição do corpo.

Os 2 principais fatores que contribuem para que existam picos de insulina no sangue são:
  • Você esta comendo em excesso mais calorias do que está acostumado a consumir no dia;
  • Mesmo comendo menos do que consome, concentra sua alimentação basicamente em carboidratos simples e/ou refinados (péssimos para sua saúde), de rápida digestão e baixa quantidade de fibras.

Uma alimentação constituída de carboidratos simples e/ou refinados, poucas ou nenhuma fibra e açucares, gera desequilibro corporal e mais apetite.

Em quantidades muito grandes a insulina é um “estimulante de nosso apetite”.

Imagem de um homem comendo um sanduíche gigante

Este hormônio tem sua função que é “varrer” do sangue todo o excesso de açúcar encontrado, ele tem ação rápida e faz com que os níveis de glicose caiam abaixo do normal. Quando estes níveis caem abaixo de 70 mg/ml, o corpo chama atenção e desperta o sentimento de fome, afinal os níveis estão baixos e precisam voltar ao normal.

Utilizando-se da fome como recurso e do hormônio glucagon, o corpo consegue seu objetivo de restabelecer os níveis de equilíbrio. Se você acabar comendo novamente carboidratos simples, refinados, processados ou industrializados e mais açucares, fará com que outro pico de insulina seja liberado, gerando fome de novo e assim fechando um ciclo que pode levar eu ou você a pesos muito fora do normal.

Só com estas informações você já entendeu que este hormônio está totalmente ligada ao ganho de excesso de peso e emagrecimento.

Mais Informações Importantes:

Quando os níveis de insulina no sangue estão altos, nosso corpo não irá tocar nas células de gordura para utilizar-se de energia, ou seja, não queimará gordura. Quando os níveis dela no sangue estão altos, causados normalmente pela má alimentação, ele libera a enzima Lipo Lipase (LPL), que favorece o armazenamento do excesso de energia como gordura corporal.

Bloqueando a utilização da gordura como fonte de energia.

Veja, este hormônio acaba favorecendo o bloqueio ao acesso às células de gordura, que mesmo com exercícios aeróbicos intensos, fica difícil se queimar gordura até que os níveis de insulina voltem à normalidade.

Até este ponto, já deve estar bastante claro para você que se seu objetivo é perda de peso através de queima de gordura, a “insulina é fator fundamental no processo”. Enquanto a insulina libera a enzima LPL para selar as células de gordura contra utilização e armazenagem da gordura corporal, o glucagon, hormônio liberador, libera a enzima sensitive lipase (HSL), a qual faz com que as células de gordura liberem suas energias para consumo.

Lembre-se que o corpo precisa manter o equilíbrio, se os níveis caem abaixo do normal, nosso corpo consegue se equilibrar liberando glucagon e se os níveis sobem acima do limite, o corpo libera insulina para voltar ao normal (70 mg/ml a 110 mg/ml).

Os músculos receptores de glicogênio possuem receptores de insulina, estes receptores são sensíveis a este hormônio e recebem o excesso de açúcar quando a insulina manda o acúmulo da enzima LPL liberada no organismo devido a vários fatores de uma péssima alimentação faz com que estes receptores de insulina nos músculos comecem a ficar menos receptivos à insulina.

Desta forma o pâncreas precisa liberar este hormônio em maiores quantidades para vencer esta resistência dos receptores, assim, o corpo desenvolve resistência à insulina.

À medida que os receptores musculares ficam menos receptivos à insulina, os receptores das células de gordura ficam mais receptivos à insulina. Se o corpo tenta guardar os excessos na forma de glicogênio e não consegue, ele recorre à gordura corporal, obviamente, e este é um processo que só irá se agravar.

Esses efeitos prolongados podem causar Diabetes e vários outros problemas de saúde, fique ligada nisso!

O Que Fazer Para Controlar o Hormônio Insulina?

Homem sarado comendo

Quanto mais receptivos os músculos são à insulina e mais correta nossa alimentação, menos ocorrerão picos de insulina no sangue. Você tem de evitar picos a todo custo se deseja emagrecer e queimar gordura.

Lembrando que aqui a base é o controle dos carboidratos, ou seja, boa alimentação e exercícios físicos. Consuma mais carboidratos de qualidade e esqueça os refinados, processados e industrializados, isso irá te ajudar a emagrecer e eliminar gordura, se você precisar é claro.

Além disso, pratique atividades físicas, se precisa emagrecer, as melhores atividades físicas são treinos aeróbicos nos moldes HIIT e a musculação. Seguindo estas informações você irá eliminar todo o excesso de gordura e irá levar uma vida muito mais saudável.

Resumindo o Que Você Precisa Saber Sobre Insulina:

1. Como a Insulina Age No Nosso Corpo;

2. Você Precisa Saber As 2 Formas Principais Que Nosso Corpo Armazena a Energia;

3. Quando Os Níveis De Insulina Estão Altos Nosso Corpo Não Toca Nas Células De Gordura;

4. Você Precisa Saber Como Controlar o Hormônio Insulina.

Referências:

As Verdades Que Todos Deveriam Saber Sobre Insulina.

Resistência a Insulina, Cetose, Dúvidas e 2 Balelas.

Conclusão:

Acredito que agora você já sabe “quase tudo” sobre o hormônio insulina. Minha intenção com este artigo é deixar claro que a insulina está totalmente ligada ao ganho e a perda de peso. Se você precisa perder peso fique ligada nestas informações. Pesquise mais sobre o assunto se achar necessário. Só uma observação rápida para terminar, controlar a insulina é o segredo para emagrecer.

Mas, se você deseja ganhar massa muscular, a insulina é o hormônio mais anabólico de nosso corpo.

Então o segredo aqui também é controlar os picos de insulina, e você conseguirá fazer isso com a alimentação.

Ainda com dúvidas sobre o hormônio insulina?

Gostou do Post ? Ele lhe foi útil ? Deixe seu comentário, sugestão ou crítica, compartilhe com os amigos. Um grande abraço e até o próximo.

 

agmjunior

Adicione aqui suas Informações biográficas

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *