O poder da Arginina

Neste artigo vou falar da Arginina, um aminoácido “conhecido” essencialmente pelas suas propriedades vasodilatadoras nos fisiculturistas que usam suplementos em geral. Irei falar sobre o que é a arginina, para que ela serve, seus efeitos colaterais e como tomá-la.

Pois bem, a L-Arginina é um aminoácido necessário para a síntese de proteínas no corpo e útil na eliminação de toxinas. Em 1932 já se sabia que era necessária para sintetizar a ureia, por exemplo, que é importante para eliminar toxinas, que podemos nomear  de amônia.

Também é importante na síntese de creatina que se decompõe em creatinina e é eliminada pelo rins. A nível alimentar a              L-Arginina está presente, por exemplo, na carne vermelha em maior concentração, mas também nas carnes de aves e produtos lácteos.

É um aminoácido bastante específico, pois é considerado “semi-essencial”, porque apesar de ser produzido endógenamente, muitas vezes para atingir as doses diárias recomendadas deste aminoácido é necessário recorrer a alimentos ou suplementos alimentares.

Falemos então do seu modo de atuação no organismo.

A arginina converte-se em óxido nítrico, o que provoca um relaxamento dos vasos sanguíneos, havendo desta forma a relação entre a Arginina e a vasodilatação, relação essa já comprovada em estudos científicos.

Além disso, a arginina estimula ainda a síntese de proteínas como já disse acima, o que pode ser de grande utilidade para o crescimento muscular, mas também se torna útil medicinalmente, acelerando a cicatrização de feridas e aumentando a espermatogênese (processo fisiológico no qual se produzem os espermatozóides a partir de células germinativas, através de meiose) no homem.

A Arginina pode estimular ainda a liberação do hormônio do crescimento, insulina e outras substâncias úteis no desenvolvimento e crescimento muscular.

Imagem de homem musculoso

Para conseguir ter as quantidades necessárias de arginina no organismo, além da que consigo captar pelas refeições sólidas, incluo este aminoácido na minha dieta através de suplementação durante todo o ano, em qualquer fase, seja Off ou On-Season.

Isto porque considero de grande utilidade em qualquer esporte, pois melhora a vasodilatação, melhora a circulação e faz com que os nutrientes cheguem ao destino mais rápido e eficazmente.

De uma forma sintetizada, cito alguns dos benefícios da L-Arginina, quer a nível desportivo, quer a nível de saúde em geral:

–  Ajuda a melhorar a performance de um atleta;

– Aumenta o bombeio de sangue durante o treino;

–  Aumenta os níveis de energia;

–  Melhora a insuficiência cardíaca;

–  É recomendada em doenças que afetem artérias coronárias (como angina de peito) pela sua capacidade de diminuir a dor nestes casos;

– Ajuda no tratamento da arteriosclerose;

– Propriedades anti-inflamatória (trato urinário);

– Previne a disfunção erétil;

– Melhora na cicatrização e recuperação pós-operatória;

– Diminui a hipertensão; e

– Melhora problemas sexuais quer masculinos, quer femininos.

Efeitos colaterias da arginina

Não há muitos efeitos colaterais a curto prazo gerados pela suplementação com l-arginina, porém, se for consumida de maneira errônea, alguns efeitos negativos poderão surgir. Altas doses por muito tempo pode gerar tensões no fígado e alguns prejuízos renais.

A Arginina e seu papel anabólico

A arginina tem importante atuação na síntese proteica no organismo, além de agir na perda de gordura, já que seu armazenamento torna-se limitado. Isso explica-se pelo fato de que há uma melhora da retenção de nitrogênio.

A l-arginina ainda funciona como intermediária da síntese do fosfato e da creatina, importantes agentes na explosão de força durante os treinos, ajudando também na recuperação dos músculos após o período de atividade, fornecendo um maior fluxo sanguíneo para as regiões que foram mais tensionadas.

Um dos principais alvos de estudo quando se cita a arginina é o próprio óxido nítrico, sendo este o responsável pela vasodilatação e pelo melhor transporte de sangue e oxigênio pelo organismo. O NO2 é estimulado logo após a suplementação com arginina, por isso é aconselhável consumi-la antes dos exercícios físicos. Além disso, essa suplementação ainda auxilia na estimulação de hormônios de crescimento (GH) responsável pelo estímulo ao aumento de massa magra. Algumas vitaminas, como a nicotinamida e a riboflavina, além do cálcio, são importantes compostos para a formação de NO2.

Para concluir, pode-se dizer que a arginina aumenta a capacidade de realização dos exercícios, contribuindo, também, com a produção de proteínas.

Homem com suplementos na mão

Como tomar

É recomendável consumir a arginina duas vezes ao dia: a primeira dose, logo ao amanhecer; a segunda, após o treino. Os médicos costumam recomendar de 50 mg a 30 g do suplemento diariamente. Para entender essa grande diferença de quantidade, deve-se entender o tipo físico do atleta, seus hábitos alimentares e seu nível de condicionamento físico.

A arginina pode ser encontrada em diversos alimentos que consumimos no dia a dia, como por exemplo, os feijões. Com a alimentação balanceada, o ser humano consegue consumir até 5g de arginina diariamente.

Referências

  • Medline Plus; L-Arginine
  • Web Md; Arginine: Heart Benefits and Side Effects
  • MedlinePlus: L-Arginine
  • Amino Acids: Beneficial Effects of L-Arginine on Reducing Obesity: Potential Mechanisms and Important Implications for Human Health
  • Journal of the International Society of Sports Nutrition: International Society of Sports Nutrition Position Stand: Protein and Exercise

Gostou do Post ? Ele lhe foi útil ? Deixe seu comentário, sugestão ou crítica, compartilhe com os amigos. Um grande abraço e até o próximo.

agmjunior

Adicione aqui suas Informações biográficas

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *